Boliche da depressão

11 de Julho de 2012, às 23h04
Chailles, França

“Voltei do Bowling World há mais ou menos uma hora.

Linda Rox após um super lance

Linda Rox após um super lance

 

A moça da recepção não entendeu meu nome, mas isso não é novidade. Nem lá no Brasil entendem! É sempre nesse momento que a Romane entra em ação dizendo “elle s’appelle Laís, comme les chips

Laís, como as batatas (Lay’s)
É, essa sou eu

Todo o grupo estava lá, com seus respectivos “irmãos”. O boliche é bem legal, tem uma parte de jogos de mesa, aquelas pistas de dança, etc. Foi bem legal, apesar de eu ter perdido feiamente. Fiz apenas 39 pontos, enquanto o ganhador, Alexis, 118. Humilhante!

Alexis e seu compreensivel ar de superioridade

Alexis e seu compreensível ar de superioridade

Ah, consegui uma peripécia também: sabe lá Deus como consegui fazer com que a bola que lancei em minha pista quicasse (sim, eu jogo tão mal que consigo fazer com que uma bola de boliche quique) e fosse parar na pista ao lado, onde havia outras pessoas jogando profissionalmente. Gente, que vergonha! Todo mundo ficou olhando pra mim. Mas a culpa não foi minha! Tudo aconteceu porque não havia canaleta (desculpa de má perdedora, sim. A bola teria passado mesmo com canaletas, mesmo com um paredão de 1 metro porque você. é. ruim. Laís, apenas conviva com isso).

Ok, ok. O fato é que não fui só eu que paguei mico. Irvine também mandou mal ao quebrar o organizador dos pinos:

err… esse pessoal não leva mesmo jeito pra coisa.

podium meramente ilustrativo para dar um up no ego

podium meramente ilustrativo para dar um up no ego

Depois do desastre que foi aquela partida de boliche, fomos ao Quick, onde eu afoguei as mágoas um lanche de verdade: supreme classic com chips media e Coca Cola. Digo “de verdade”, pois até então, só havia comido hambúrgueres simples. Não sei se já falei do meu amor por esse restaurante fast food para vocês: o Quick foi meu melhor amigo no retorno à Paris; quando entrei no período de estágio (vou contar mais para frente), comia lá todo santo dia. O menú é bem diferente: dentre as bebidas, você tem a opção de pedir vinho. Existe também um passe estudantil, com o qual você ganha um hambúrguer ou sorvete na compra de um lanche grande. Já pensou se tivesse no Brasil?

 

P.S.: o boliche custou 10€ (por pessoa) e o lanche, 7,50€. Um tanto quanto caro se pensarmos em Reais, não?”

Um comentário sobre “Boliche da depressão

  1. Laís disse:

    Eu sei bem como é isso,kkkkk, me perguntam qual é seu nome ai eu falo Lais e eles Laissa?
    Eu:não,Lais
    Ai da mais raiva ainda quando falam Tais. Hoje eu nem corrijo mais tem até gente dá minha família que confunde. Eu perguntei pra minha mãe da onde foi que você tirou meu nome e ela fala é que eu queria um nome curto, antigo e raro (só pra contraria minha irmã chama Isadora que eh um nome longo e comum) vai entender essa vida.kkkkkkk

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s