Flying Higher

January 27th, 2012

Washington D.C., USA

PENÚLTIMO DIA

Por mais repetitivo que seja, é impossível deixar de dizer que o sol já nascia em Washington D.C. trazendo uma onda de agitação e expectativas que me acertava em cheio. Acredito que eu não era a única pessoa que me sentia assim logo ao acordar, mas naquele dia… ah, naquele dia a onda virou um tsunami. Eu acordei MUITO animada, com MUITAS expectativas sobre os action plans e disposta a aproveitar ao máximo tudo que a cidade poderia me oferecer nesse… penúltimo dia?!

Como assim “penúltimo dia”? Não, não, moço, pera aí;  deve ter alguma coisa errada! Como acreditar que já tinham se passado 20 dias desde que eu ali havia chegado? Quantas coisas tinham acontecido; quantas mudanças eu observei em mim mesma; como aprendi a valorizar ainda mais as coisas simples da vida; como mergulhei dentro de mim mesma e encontrei sentimentos e habilidades que eu não fazia idéia de que existiam aqui dentro? Como pode a vida de uma pessoa mudar em apenas 20 dias?

Pois acreditem: A MINHA MUDOU!

Acordei com esse pensamento na cabeça. Estava acabando.

Estava acabando, mas ainda não tinha acabado. Faltava a parte mais importante de todo o programa, faltava aquilo sobre o que ele gira em torno: os action plans, claro! Como não?! Uma forma de aplicar todo o conhecimento obtido durante a viagem em nossas comunidades e cotidiano!

Acordei, tomei café da manhã e seguimos para a sede da World Learning.

“cool cool, sweet sweet” – ECKARD, Tracy

Depois de ouvir atentamente os comandos de Tracy, fixamos nossos cartazes nas paredes e esperamos até que as primeiras pessoas que vieram conhecer os nossos projetos passassem pela porta. Acho que todo mundo sentiu um  friozinho na barriga ao ver funcionários respeitadíssimos da WL chegando.

Groups’ presentations!

Ao final das apresentações, os funcionários elogiaram muito as nossas apresentações dizendo que éramos o grupo mais focado que já tinham visto, com os action plans mais preciosos até então e nos desejaram sorte na implantação dos mesmos aqui no Brasil. Que honra, hein?!

Mas no que deu o seu action plan, Laís?

Veja com seus próprios olhos! Cumprimos com o nosso compromisso de fazer palestras em todo o Brasil cujo tema central era a importância de ser um voluntário e os benefícios que isso poderia trazer!

Volunteerism workshops.

Almoçamos os sanduíches que tinhamos encomendado na noite anterior com uns cookies enormes (porém, deliciosos).

Depois seguimos para a… NASA! Gente, até hoje não consigo acreditar que um dia eu realmente estive lá.

portfolio and autographed photo

Tivemos uma palestra muito interessante e emocionante com ninguém mais, ninguém menos que Charles F. Bolden Jr., também conhecido como o presidente da NASA.

Bolden é um astronauta aposentado que já participou de 4 missões espaciais. Depois de fazer muita história, foi nomeado presidente por Barack Obama em 2009.  O que mais me surpreendeu foi sua humildade. Em momento algum da palestra, ele se apresentou como o presidente da agência espacial. Só fomos saber do renome da pessoa com quem conversamos por longos minutos ao fim da palestra, e por intermédio de outros funcionários.

DSC04121

beca manêra

Perto da gift shop (acostume-se: tem gift shop em tudo que é canto dos EUA), onde tinha vários brinquedos loucos, ficava exposto o Nobel da física de 2006, que foi dado a John C. Mather pela descoberta da forma de corpos negros. Dei uma namorada básica no prêmio e tirei essa foto. Sabe lá quando eu vou estar tão perto dele de novo?!

DSC04117

Juro pr’ocês que meu nariz não é desse tamanho. Aquela história de que a foto nos engorda e tal, sabe?

Aí nos fomos comer.

AEEEE, CO-MI-DAAAA

E para a nossa surpresa, prazer e alegria, fomos comer num restaurante brasileiro.

AEEE, COMIDA BOAAAAA!

Um arrozinho com feijão era tudo que eu precisava depois de tê-los comido doce em um restaurante de Charlotte.

Fomos ao The Grill from Ipanema, que fica no bairro de Columbia Heights.

the girl from ipanema at the grill from ipanema.

the girl from ipanema at the grill from ipanema.

O restaurante é um verdadeiro pedacinho do Brasil em pleno centro da capital americana. Foi difícil conter as lágrimas ao entrar e ver o Rio de Janeiro estampado em uma das paredes. Embora eu não quisesse nem pensar no fato de que estaria deixando os EUA em algumas horas, eu sentia uma saudade descontrolada do meu Rio.

Passado o momento emoção, abrimos o cardápio e decidimos pedir cada um uma entrada, para que pudéssemos experimentar tudo aquilo que estávamos de vontade de comer: coxinhas, bolinho de aipim, bolinho de bacalhau… So yummy!

Mas o melhor mesmo foi o prato principal. OMGGGG, o melhor arroz com feijão, farofa, molho à campanha e frango grelhado que eu já comi em toda a minha vida! Vocês podem achar que eu estou exagerando; experimentar pratos típicos de uma cultura diferente é realmente uma ótima experiência, mas arroz e feijão é… MARAVILHOSO! Simplesmente não dá pra viver sem por muito tempo.

DSC04134

te quiero

P.S: alguns garçons falavam português, o cardápio era parcialmente escrito em nossa língua e a música ambiente também era brasileira. Me senti em casa!

De volta ao 4H, demos início ao nosso Talent Show. Contamos com a presença do trio composto por Késia, Ana e Jorge cantando “The Girl from Ipanema“; Jean, Wanderson, Laurence e Daniel dançando; Brunella, Mellis e Alice dublando “Hot ‘n Cold“; Paloma e Fernando performingLuckyby Colbie Caillat; Laurence cantando a música que compôs especialmente para o programa; Thalles e Joyce interpretando “Deita na BR” (o Thalles foi caught sneaking out depois do “toque de recolher” e foi sentenciado a pagar esse mico durante o Talent Show); entre outros, mas o melhor foi a apresentação surpresa do staff da WL. Arrasaram! Vou ficar devendo o vídeo.

Eu tinha tirado o Igor no amigo oculto. Foi muito difícil esconder isso dele, já que estávamos juntos em praticamente todos os momentos. Comprei uma camisa verde e acertei em cheio, pois essa era sua cor favorita. Quem me tirou foi o Felipe, que me deu uma abelha de pelúcia linda, pela qual sou apaixonada:

linda, não?

linda, não?

Não queria que aquele dia acabasse.

Embora estivesse muito cansada, não senti aquela vontade enorme de dormir.

Não queria dormir;

não queria acordar e perceber que era o meu último dia ali;

não queria ir pra casa.

Nao!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s