Let’s go!

06/01/2012 – 3º dia em São Paulo: a lot of fun and departure to the U.S

Passamos a noite anterior arrumando nossas malas e preparando tudo para o grande momento.

Pausa para foto após o check-out

Às 9h da manhã, todos os jovens embaixadores já tinham feito o check-out na recepção do hotel. A próxima atividade era um workshop com a psicóloga Adriana Campidelli.

Primeiramente ela nos pediu para que escrevessemos numa folha os  nossos nomes e um único adjetivo que nos descrevesse. Depois todos tivemos oportunidade de falar para o grupo o que tinhamos escrito sobre nós e, sem justificar, deveriamos também apontar algo bom e algo ruim que essa característica nos trazia.

Eu escrevi “sentimental” (ooown). O lado bom de ser sentimental, ao meu ver, está no simples fato de eu me apegar fácil às pessoas, criar um sentimento verdadeiro por elas e não esquecer tanto das pessoas por si próprias, quanto dos momentos (sejam eles bons ou ruins) que passamos juntos. Já o ponto ruim é sentir saudades de tudo isso.

Depois tivemos uma outra atividade ainda com a psicóloga, onde ela passava várias imagens de frutas em uma apresentação de slides e nós deveriamos escrever qual era o seu nome e o que ela nos lembrava (uma única palavra). Eu sou péssima com frutas e confesso que não consegui identificar algumas. Lembro que a primeira fruta a aparecer foi uma manga e eu lembrei da minha mãe. Quando chegou a hora de falar para o grupo o que a imagem de uma manga me remetia, dizer “mãe” provocou risos, rs.

O objetivo dessa atividade era mostrar como uma coisa pode ser interpretada de diversas maneiras por pessoas diferentes, por exemplo: quando apareceu a foto de uma tangerina, eu e o Luiz, que também mora aqui no Rio, logo falamos “ah, isso é uma tangerina, fato!”, enquanto o pessoal do nordeste estava certo de que era uma mexerica. Por outro lado, havia também um grupo de jovens embaixadores que chamava tangerina somente de “laranja”. Também me lembro de que quando apareceu a foto do açaí ainda na árvore, maior parte daqueles que moram no sudeste não reconheceram a fruta em questão.

PS: Durante essa atividade descobri o que era uma seriguela!

Ela também nos propôs uma atividade em que tinhamos de escolher alguém com quem não tinhamos tido muito contato desde que chegamos em São Paulo para trabalhar em um diálogo. Havia somente 3 dias que eu estava lá, e na hora de escolher alguém para trabalhar nessa atividade, percebi que já tinha conversado com todo mundo. Quem escolher, então? Acabei escolhendo o Cassiano (SE), com quem já havia conversado em algumas oportunidades. Nos foi proposto alguns diálogos nos quais tinhamos que encarnar um personagem e resolver uma determinada situação a partir da perspectiva desse personagem. Lembro que eu tive de ser alguém esnobe, que achava que sua vida e suas ideias eram melhores do que as dos outros. Foi horrível fingir ser assim, pois é uma postura completamente diferente da minha própria.

A última atividade foi bastanteemocionante. Tivemos que encontrar um espaço na sala para termos um pouco de privacidade para listar as pessoas, as situações e as escolhas que fizeram com que nós pudéssemos estar presentes naquela sala, naquele momento, com o título de jovens embaixadores. Lista pronta, era hora da psicóloga conduzir uma reflexão cronológica de todos os acontecimentos. Ela pediu para que pensássemos no primeiro momento em que vimos o anúncio de abertura das inscrições para o programa jovens embaixadores; na parte do application form; no sufoco que passamos para conseguir juntar todos os documentos necessários; em quando soubemos que tinhamos sido selecionados para a primeira prova… Aí as primeiras lágrimas já foram surgindo. Depois pediu para que relembrássemos todo o processo seletivo, toda a competição, todos

os candidatos, toda a dificuldade e todas as horas de estudo para conseguir passar para as próximas etapas. Pediu também que pensássemos naqueles que nos ajudaram, no momento do anuncio e na felicidade ao ver nosso nome ser chamado. Na preparação para a viagem, na correria, na expectativa e finalmente onde nós estávamos agora. Aí eu chorei. Chorei mesmo e chorei muito!

Passada toda a emoção, nos recompomos e seguimos para a residência oficial do Cônsul, onde um “american barbecue” nos aguardava. Quem estava esperando por picanha, alcatra e frango e linguiça no espetinho se enganou. O “american barbecue” é super diferente de um churrasco tipicamente brasileiro. Veja:

—-

Pois é!

Tivemos discursos do Cônsul, do Cassiano (jovem embaixador representante de Sergipe), que falou da felicidade de ser um jovem embaixador e fez agradecimentos em nome de todos nós, e também ouvimos as palavras de uma representante da Microsoft que estava presente para nos prestigiar. Havia também muitos jovens embaixadores de edições passadas que conversaram conosco e nos deram algumas dicas de última hora.

Flamenguista no Pacaembu!

Terminado o barbecue, seguimos para um tour pela cidade de São Paulo. Passamos por diversos lugares legais, como monumentos, museus, Estádio do Pacaembu e Museu do Futebol, Mosteiro de São Bento e, por último, a Estação da Luz. Adoraria ter ido ao Museu da Lingua Portuguesa, como boa apaixonada pelo nosso idioma, mas não tinhamos muito tempo até o horário que precisávamos estar no aeroporto e certamente ninguém gostaria de se atrasar para o momento de enfim voar rumo aos EUA.

Assim fizemos! Chegamos ao Aeroporto Internacional de Guarulhos mais ou menos às 19h e a lá estava a equipe do Caldeirão do Huck nos esperando para gravar nossa ida aos Estados Unidos. Descemos do ônibus fazendo festa e eles gravaram tudinho! Não sei se já havia comentado antes, mas toda a viagem foi gravada por correspondentes do Caldeirão e irá ao ar no mês de março! Fiquem ligados!

USA, here we go!

Às 20h fizemos nosso check in e o embarque foi autorizado às 22h. Entramos no avião e ali tinha início uma viagem de mais de 9 horas. Mesmo assim, nem a demora, nem a comida ruim e muito menos jet lag tirava o sorriso que ficou estampado em nossos rostos durante todo o vôo. Os nossos sonhos estavam se concretizando e estavam tão perto que já era quase tangível.

Até daqui a 9 horas,

na terra onde os sonhos se tornam reais!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s